Como a sua marca pode ter uma comunicação mais inclusiva?

Essa inclusão deve começar corporativamente. Uma pesquisa feita pela Mappit e a consultoria CKZ Diversidade mostrou que 15% afirmaram já ter visto atributos físicos sendo abordados de maneira pejorativa em comunicados empresariais, 14% apontaram o mesmo problema com relação à orientação sexual e 11%, ao gênero.

Os entrevistados foram convidados a analisar se há um movimento de inclusão nas comunicações de sua organização e 46% relataram um aumento no número de mulheres e 38% no de pessoas pretas representadas pelas ações. Já 18% dos respondentes acreditam que nada mudou. A maioria (63%), no entanto, considera que as empresas em que trabalham se preocupam com a diversidade na hora de selecionar palestrantes, desenvolver eventos e conferências.

A comunicação inclusiva é um atributo que reforça a marca e seu posicionamento. Nos tempos atuais, em que todos estão atentos a quem de fato tem a essência da diversidade – e não apenas em discurso -, ser reconhecida por essa capacidade vale muito mais do que uma campanha de sucesso.

Veja abaixo 7 ações para transformar sua marca em uma marca inclusiva:

Não reproduzir estereótipos: lembrar que homens e mulheres podem exercer as mesmas tarefas ou que pais e mães também são responsáveis por filhos é um exemplo.

Não utilizar expressões que possam representar barreiras e preconceitos: termos como denegrir, inveja branca, da cor do pecado, homossexualismo devem parar de serem usados por produzirem discursos preconceituosos. Utilizá-los na comunicação

Estar atento aos canais: eles devem ser acessíveis a todas as pessoas. Pessoas com deficiência ou idosos podem ter fácil acesso a essa comunicação? Se não, ela não é para todos.

Estar atento à mensagem: uma linguagem difícil de entender, jargões ou termos em inglês coloca de fora pessoas com baixa escolaridade e pessoas que não falam outro idioma sem ser o português.

Estar atento ao layout: utilizar nas imagens pessoas reais e plurais como existem na sociedade. Retratar seu cliente na comunicação faz ele se sentir reconhecido.

Legenda sua comunicação: vídeos devem conter legendas, descrições para quem não pode enxergar de modo que todos possam compreender a mensagem.

Eventos inclusivos: ter palestrantes plurais que tenham uma comunicação real com diversos grupos agrega valor a um evento, já que trazem visões diferentes e pontos de vista que possam acrescentar algo de novo ao seu público. Dar voz a especialistas negros, índios, deficientes ou trans mostra que a empresa de fato está voltada à diversidade. Além disso, um evento inclusivo envolve também a parte logística e de intérprete de libras, tradutor e vídeos legendados.

Curtiu? Continue acompanhando nossos conteúdos.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo